Um grupo de trabalho de 21 especialistas internacionais reunidos pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC, na sigla em inglês), da Organização Mundial da Saúde (OMS), confirmou pesquisas feitas anteriormente segundo as quais a ausência de excesso de gordura corporal reduz o risco de câncer de cólon e reto, esôfago, rim, mama (em mulheres após a menopausa), endométrio e útero. Segundo o grupo de trabalho, há “evidências suficientes” de que pessoas magras têm menos risco de câncer de fígado, vesícula biliar, pâncreas, ovário, tireoide e mieloma, entre outros.

Relatório do programa de prevenção da Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC, na sigla em inglês), da Organização Mundial da Saúde (OMS), concluiu que o sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para mais tipos de câncer do que se imaginava anteriormente.

Um grupo de trabalho de 21 especialistas internacionais reunidos pela IARC avaliou mais de 1 mil estudos sobre o tema e confirmou pesquisas anteriores segundo as quais a ausência de excesso de gordura corporal reduz o risco de câncer de cólon e reto, esôfago, rim, mama (em mulheres após a menopausa), endométrio e útero.

Segundo o grupo de trabalho, há “evidências suficientes” de que pessoas magras têm menos risco de câncer de fígado, vesícula biliar, pâncreas, ovário, tireoide e mieloma, entre outros, de acordo com o estudo divulgado nesta quinta-feira (25).

Os especialistas reunidos pela IARC também apontaram “evidências limitadas” de que a falta de gordura corporal em excesso reduza o risco de câncer fatal de próstata, de mama em homens e linfoma difuso de grandes células B.

Segundo a principal autora do artigo, Béatrice Lauby-Secretan, a “avaliação abrangente reforça os benefícios de manter um peso saudável para reduzir o risco de diferentes tipos de câncer”.

O grupo de trabalho também analisou dados relacionados à gordura corporal em crianças, adolescentes e jovens adultos, com idade até 25 anos. O objetivo era avaliar se a obesidade no início da vida estaria ligada ao câncer na vida adulta.

Para diversos tipos da doença, incluindo de cólon e fígado, foram observadas associações entre excesso de peso e câncer semelhantes aos registrados em adultos… (clique aqui e leia a matéria completa)